A forte ligação do cinema com a minha vida pessoal

Escrevo pouco sobre mim mesma aqui no blog.
E isso por que o bate papo, tanto no podcast quanto nos comentários é Cinema.
O Cinema é o foco principal.
E eu, como todos os participantes e colaboradores desse blog, somos apenas apaixonados e divulgadores de filmes ( muitos até desconhecidos ) e nos sentimos muito agradecidos pelas suas visitas à esse blog, seus comentários, à sua audiência dos nossos podcasts.Mesmo quando vocês esquecem de comentar, nós sabemos que estão aí.Mesmo quietinhos…haha
Hoje eu vou quebrar essa regra à que me impus.Vou falar de mim.
Há algum tempo atrás (alguns meses pra falar a verdade) na minha ( incansável ) busca sobre cinema estrangeiro, descobri um filme simpático, cuja sinopse me interessou bastante o Hanami – Cerejeiras em Flor ( Título Original: Cherry Blossoms / Kirschblüten – Hanami – 2008 ) .
Baixei, e ficou ali meio esquecido no HD.Até que num “hiato” entre podcasts, num sábado meio insone eu o vi, e pensei: “Oba agora sim, vou assistir.Vamos ver qual é a desse Hanami.”
Antes de tudo preciso dizer que tenho uma curiosidade feroz sobre a cultura japonesa, suas lendas, suas danças seu modo de pensar e viver.
Pesquiso tudo que posso, mesmo no meio da vida corrida, trabalho MUITA edição…
( podcast dá trabalho negada!)
Lá estou eu, duas da manhã assistindo Hanami…
No começo do filme já uma má notícia ( é, ele começa já com prenúncio de coisas tristes à frente ) isso não me desanimou, gosto muito de histórias dramáticas.
Continuei assistindo e fui presenteada com uma das mais belas histórias de amor e redenção que já vi no cinema.Sem pieguice, sem final feliz.
Já falei em vários podcasts sobre Hanami – Cerejeiras em Flor, e não vou me alongar mais.
Só vou dizer: Assistam.
Se permitam à essa experiência.Vocês sairão com outro olhar sobre a vida, é o que lhes digo.
Bom, eu me senti assim.
Chorei muito, o filme me impactou muito.
E me trouxe de presente uma dança que nunca tinha visto na vida ( ai que vergonha! ) o Butô (clique aqui, tem um texto excelente e explicativo sobre essa dança) e fiquei completamente apaixonada.
Já conhecia ( só de ver na televisão, filmes, Youtube ) o teatro Kabuki (aqui também tem um texto legal, se quiser conhecer a evolução das danças japoneseas)tem até um filmaço do Zhang Yimou que fala sobre isso… opa, foco Angélica, foco!
Fiquei tão encantada com a dança Butô, seus movimentos tão expressivos, fortes! ( no filme Hanami isso é explicado para nós e para o protagonista ) me senti tão envolvida!
Saí em busca de uma academia (por aqui na Baixada Santista, onde moro ) de Butô, eu também queria me expressar, não sinto vergonha de dizer isso.
Não encontrei nada na Web.Frustação!
Fiquei lá com o sentimento e o desejo constante de um dia nessa vida ( se eu tivesse alguma sorte ) eu assistiria AO VIVO uma apresentação de Butô.
O tempo passou.Trabalho, vida, filha (linda) pra cuidar, casa, blog, podcast…
E me deparei com a notícia no jornal local: “Sesc Apresenta o espetáculo: Segredos da Humanidade com a companhia de dança Butô DAIRAKUDAKAN Temputenshiki
dias 03 e 04 de Novembro no Sesc Pinheiros – SP ( suspiro… ) e dia 06 no Sesc SANTOS ( coração bateu forte! ) agora é a minha vez!

Olha aí.
Tenho orgulho de poder usar esse espaço aqui para dizer que estou com os ingressos!
Vou com o querido Marcos Noriega, que sabe como eu me sinto à respeito dessa dança, e estou muito ansiosa e feliz.
Olho pra eles toda hora ( estão sendo bem protegidos pelo meu monje flautista…hehe)
É isso gente.
Peço desculpas, não costumo falar de mim.
Mas dessa vez me senti na obrigação de compartilhar.
Cinema tem dessas coisas, ensina muito pra vida.
Cinema é um presente.
Deixo aqui um abraço forte pra todos que aparecem aqui na Masmorra e ( porque não? ) o link aí, bonitinho pra ( quem sabe ) vocês receberem e sentirem um pouco da experiência que Hanami – Cerejeiras em Flor me trouxe.

Obrigada

Angélica

Hanami – Cerejeiras em Flor – Dir. Doris Dörrie (2008)

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Marco Alvares disse:

    Angélica, querida! Eu já baixei esse filme por indicação de vocês.. minha namorada precisa desse toque a mais, outro olhar sobre a vida como você já tinha dito. Ainda não vimos, mas acredito que hoje mesmo já vemos, aí eu conto como foi.O cinema também influencia muito na minha vida, sempre aparecem aqueles filmes que precisamos ver bem naquela hora, né? Comigo acontece muito de eu pegar algum filme sem querer em que alguma mensagem que eu preciso muito ouvir é dada.Obrigado por se abrir conosco!Marco

  2. Sr.Elton disse:

    Eu sempre fui muito fã da cultura japonesa, no entanto depois de começar um curso de japonês eu percebi o quanto se perdeu dessa essência de outrora e como eles estão "estranhos" ultimamente, talvez isso tenha me desencantado um pouco sobre o Japão, mas foi graças a esse curso também que eu descobri o Taiko, uma coisa de que gosto muito, tanto quanto do ButoOlha esse vídeohttp://www.youtube.com/watch?v=_n-6KC2RdGQQuanto a cinema e vida, bom, eu nem preciso dizer que se hoje eu tenha um lado espiritual isso se deve a Jodorowsky…

  3. Clube da Néce disse:

    Angélica,Que post lindíssimo! Obrigada por compartilhar seus sentimentos conosco! Fiquei emocionada!Um abraçoAmanda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s