El Espiritu de La Colmena


Na Ocasião em que assisti “Labirinto de Fauno”, conheci esse filme, mas acabei não o assistindo. Falavam da semelhança entre a alegoria existente ambos.

No entanto, consegui assistí-lo um dia desses, e de fato são parecidos apenas, ao meu ver, no fato de se tratar de como crianças, acabaram passando por momentos da guerra na espanha, mas nem de perto está relacionado à traumas violentos em consequência da própria guerra. 

Aqui, somos apresentados a Ana, uma criança inocente, no sentido mais puro que essa palavra possa ter, mora com sua família em uma vila rural, no interior da espanha. Um dia, um cinema itinerante chega ao local e exibe “Frankenstein”, de James Whale, essa cena é de fato linda, o diretor estava atento e capturou a reação verdadeira de Ana diante do filme ao qual assistia pela primeira vez, o filme mudou a vida dela de tal maneira, que ela não poderia mais deixar de pensar na morte e em suas consequências.

A irmã de Ana, conta a ela que tal monstro existe, e que ela mesma o viu nos arredores da casa onde elas moram, isso passa a ocupar os dias de Ana, a procura por Frankenstein, até que um dia tal encontro acontece!

Claro, que o filme é um tanto difícil de “digerir” e é um tanto quanto lento, mas tudo é proposital, não entrarei nesse mérito aqui, pois há inúmeros textos bons na Internet que falam da relação desse filme com os eventos políticos e filosóficos, durante os anos 40 na Espanha.

Achei interessante a forma como o filme aborda de forma singela e tênue, o impacto que o cinema pode trazer na vida de uma pessoa, bem como ele não deve ser visto apenas como entretenimento, mas ele é capaz de despertar a pessoa para a realidade existente a sua volta.

É curiosa a cena em que Ana está na escola e estão tendo aula de ciências, e aprendendo sobre o corpo humano, a professora coloca um boneco diante das meninas, e nesse boneco, faltam diversos órgãos, e as meninas vão montando-o, após um tempo, a professora indica que falta apenas um, e é Ana que o completa, o que faltava ao boneco eram os olhos. É como se Ana tentasse dar visão ao expectador, pedindo para que você abra os olhos, e comece a enxergar a realidade ao seu redor.

É engraçado ainda que Ana viu o mesmo filme que sua irmã, mas o impacto real foi causado apenas em Ana, mostrando que muitos, infelizmente, não se deixam ir além do que vêem na tela.

Convido vocês a experimentar esse filme, tenha paciência e permita-se encantar com Ana!

Anúncios

3 pensamentos sobre “El Espiritu de La Colmena

  1. Eu sou fã deste filme , e ao assisti-lo me apaixonei por Ana Torrent , que mais tarde partiria meu coração novamente em Cria Cuervos . Longa vida ao cinema espanhol !

    Curtir

  2. Um filme muito bonito, a atriz pequenina, excelente, a maneira de atuar as suas expressões a linguagem corporal. Sempre admirei as crianças no cinema e Ana Torrent, assim como Danny Loyd "O Iluminado" são meus favoritos!Posteriormente assisti Cria Cuervos como mencionou Lord Vader, ótimo!Mateus André

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s