Masmorra à Trois #1 Trilogia das Cores de Krzysztof Kieślowski

TRILOGIA DAS CORESNo nosso primeiro podcast da série Trilogias Angélica Hellish e Marcos Noriega recebem Juliano D’Angelo do Rapaduracast para conversar sobre a última obra desse importante diretor.
O diretor polonês Krzysztof Kieslowski faleceu em 13 de março de 1996 aos 54 anos, deixando para trás uma filmografia extensa e uma obra prima como legado para a humanidade. “A Trilogia das Cores” é esse legado.
Os filmes são baseados nas cores da bandeira francesa e no tema da sua famosa revolução, “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”, divididos individualmente em A Liberdade é Azul ( Blue ), A Igualdade é Branca ( White ) e A Fraternidade é Vermelha ( Red ).
Ao assistir na seqüência, percebe-se com mais clareza as sutis ligações que são feitas entre os filmes e as correlações que existem entre as distintas histórias. Os filmes se encontram a venda tanto de forma individual como em uma caixinha para lá de bacana.
Em “A Liberdade é Azul”, o drama toma conta da história. Conhecemos Julie (Juliette Binoche), que após perder o marido e a filha em um acidente de carro, renega tudo e todos e passa a viver evitando tudo que lhe cause qualquer emoção. O silêncio dá o tom, com o diretor mostrando uma riqueza de detalhes fantástica (como quando o médico avisa Julie da tragédia) e focando em objetos e pontos vazios para explorar a solidão da protagonista.

trilogiadascores

“A Igualdade é Branca” é um filme mais leve, mas não menos tenso. Nele, Karol Karol (Zbigniew Zamachowski) leva a vida com uma incrível falta de tato e principalmente de sorte. Sua mulher Dominique (Julie Delpy), o abandona às traças porque simplesmente ele não dá mais conta do recado de satisfazê-la. Karol Karol então volta para a Polônia e trama calmamente sua vingança contra a ex-mulher, que apesar da sua raiva não acontecerá de maneira gratuita, pois ele ainda a ama.
O toque de mestre de Krzysztof Kieslowski chega em “A Fraternidade É Vermelha”, um drama centrado em redenção e procura, apimentado com desilusões, tristezas e rotina. Valentine (Irene Jacob) é uma modelo que vive em Paris e vê sua vida meio em frangalhos, longe do namorado e vendo sua família ruir.
Ao conhecer um juiz aposentado (Jean-Louis Trintignant) que passa o resto da vida a espionar os vizinhos, Valentine vê sua vida mudar e tomar rumos inesperados.
Com os três filmes da trilogia, Krzysztof Kieslowski uniu emoção, sentimentos e sujeira humana em um momento único da Europa, que passava por um processo todo especial após a queda do Muro de Berlim. Com os longas, ganhou prêmios importantes como o Leão de Ouro de Veneza, o Urso de Prata de Berlim e o Festival de Cannes, além de indicações para o Oscar. Nada mais justo para uma obra de rara beleza e poesia. Indispensável.
Edição feita por Daniel Volponi
Skype: Masmorracast


PARA FAZER DOWNLOAD, CLIQUE AQUI E SELECIONE SALVAR LINK COMO
NOVO FEEDhttp://www.podcastgarden.com/podcast/podcast-rss.php?id=7567 Assine  e conheça todos os nossos podcasts

Masmorra no Twitter e no Facebook 

Anúncios

12 pensamentos sobre “Masmorra à Trois #1 Trilogia das Cores de Krzysztof Kieślowski

  1. Opa… tudo bom??Finalmente comentando aqui no Masmorracast. Ouço o cast já há algum tempo, mas só hoje resolvi comentar.Adoro cinema.Eu realmente amo assistir um bom filme.Entretanto, tenho 2 problemas:1: Sou totalmente inepto a desvendar as mensagens subliminares e easter eggs presentes nos filmes. Não ví a trilogia das cores, mas tenho absoluta certeza de que jamais entenderia essas nuances que vocês muito bem ressaltaram no episódio. O fato de ninguém ajudar a velinha recicladora, os finais quase sempre tristes, a interligação dos três filmes, isso é algo que eu jamais descobriria sozinho.2: Odeio francês. Só tem duas línguas no mundo que eu não suporto: Francês e Alemão. São as línguas mais feias do mundo, totalmente sem expressão e entonação, na minha opinião.Por esses dois motivos(muuuuuito mais pelo segundo) não assisti a trilogia, apesar dos avisos de vocês sobre os spoillers, e de que seria legal ver o filme antes de curtir o cast.Pra mim, este episódio teve uma utilidade muito grande!Vocês esmiuçaram os filmes com tanto esmero que não me sinto obrigado a assistir os 3 filmes que eu não assistiria de qualquer maneira. As descrições foram tão precisas que me senti assistindo o filme, sem precisar encarar a horripilante língua francesa. As vírgulas sonoras do cast me deixaram bastante nervoso, mas continuei ouvindo pois adoro todo tipo de cinema, e jamais poderia assistir a esta produção francesa devido a minha implicancia inexplicável com a língua francesa.Enfim, gostaria novamente de agradecer pelo cast.Dizer que foi muito proveitoso para mim e que, talvez, num futuro distante, eu tente novamente superar esse meu preconceito que vocês dirão que é bobo ou escroto.Um beijo forte pra Angel(sua voz é maravilhosa!) e um abraço ao Marcos e ao Juliano.

    Curtir

  2. Nossa, que cast sensacional foi esse? Essa trilogia é realmente maravilhosa, foram analisados vários aspectos desses filmes, todos super interessantes.A participação do Juliano foi muito boa, ele é uma excelente pessoa e um grande apreciador da sétima arte.Abraço a todos!!! ^^v

    Curtir

  3. Como de costume, mais um excelente programa, pautado por inteligentes e bem esclarecidas críticas cinematográficas de todos os envolvidos!!!!! ^.^Realmente, nenhum bom cinéfilo que se preze pode privar-se do verdadeiro prazer que é assistir a grande "ode humanística" que é a TRILOGIA DAS CORES…Parabéns à linda turma e convidados especiais daqui do site "Masmorra Erótica". Muita paz & saúde!!!

    Curtir

  4. There and Back Again!Ola masmorrianos… andei desaparecido dos comentários mas me mantive fiel ao podcast! O que dizer sobre a trilogia das cores… simplesmente que sou o que sou (cinéfilo maldito compulsivo atormentado e lunático) pela trilogia das cores. Mudei de um simples observador de blockbuster para um outsider filmístico depois de assistir a Fraternidade.Retorno em outro post, em um horário mais contemplativo e menos sucestíevl a uma demissão por justa causa!Abraços amigos carcereiros e encarcerados, nessa hedionda e bela masmorra!King (or not) Buddy Holly! do blog Bullet and Music, eternamente It's Alive!

    Curtir

  5. Salve!Assisti à trilogia no início dessa semana e estava até me esquecendo de comentar aqui. Afinal, foi devido a esta postagem que eu me apressei em assistir aos três filmes.Depois de assistir, ouvi o cast pra conferir as impressões de vocês e fiquei bastante satisfeito, porque muito do que vocês falaram passou despercebido. Isso se deve um pouco à pressa também, afinal, eu assisti aos três e nem tive tempo de refletir a respeito antes de ouvir o cast.O lado bom é que virei quase um especialista na trilogia. hehe. Fora o exagero, os pontos em que os filmes se cruzam foram muito bem explorados por vocês e toda a questão política por trás de filmes que às vezes parecem tão simples na primeira camada. É o orgasmo intelectual!Ah, não posso deixar de dizer que o cast me ajudou principalmente no "Bleu". Antes de ouvir vocês, era o que eu havia pegado menos detalhes, mas quando vocês começaram a falar, muita coisa começou a fazer sentido.Bom, o cast foi excelente!Abraços!@Rob_Ville

    Curtir

  6. Simplesmente sublime.Não vi ou conhecia o filme e adorei o cast, me despertou a paixão de ver estes filmes.Acabei de ouvir e estou sem palavras, tão breve quando ver comentarei com mais propriedade.Parabéns e obrigado. Aguardo uma trilogia com Lars von Trier.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s