Eu vi o Diabo

O filme coreano “I Saw The Devil” me surpreendeu, não só pela sua trama que se desenrola de um jeito frenético e agoniante, mas também pelo modo em que o diretor Jee-woon Kim consegue mesclar em apenas um filme vários gêneros que contribuem para o desenrolar da trama.

A história gira em torno de um “agente secreto” que perde sua mulher, assassinada por um serial killer, e parte atrás do assassino para fazer vingança com suas próprias mãos. Muitas pessoas podem achar que se trata de mais um filme clichê sobre vingança, essa impressão se corrige rapidamente ao presenciarmos a morte da esposa do protagonista, quando surgem os primeiros vislumbres de gênero do diretor, ele constrói a cena com um suspense simples que cresce até o momento em que presenciamos todo o terror sofrido pela vítima.

Clique na imagem para ler o post completo!

Logo descobrimos que o sogro do personagem principal é um dos chefes da polícia coreana, e o ajuda a encontrar os quatro principais suspeitos do crime. O agente não demora muito para descobrir quem é o assassino, então começa um sádico jogo entre ele e o seu antagonista. O primeiro encontro dos dois é sensacional, o filme é carregado de muita ação coreografada, mas que não soa forçada justamente por sabermos que o personagem principal é um “agente secreto” e todas as armas que ele usa podem ser conseguidas no seu próprio local de trabalho.

É importante ressaltar a atuação do agente vivido pelo ator Byung-hun Lee, e do serial killer vivido pelo ótimo ator Min-sik Choi (que anos atrás deu Show ao interpretar Oh Dae-su no filme genial e também coreano, Oldboy), o primeiro se mostra um homem muito obstinado, que consegue mostrar em apenas um olhar todo ódio que sente pelo assassino, por outro lado, é interessante vermos como ele tenta ao máximo reprimir a dor da perda, como se ele lutasse contra seus sentimentos em prol de sua vingança calculista. Já o segundo, acerta em cheio ao retratar o antagonista como um homem arrogante que aparenta estar sempre cansado com alguma coisa, e que rapidamente, consegue oscilar do cansaço para um sadismo extremo com suas vítimas.

Li um breve comentário no twitter do crítico Pablo Villaça, onde ele faz uma justa comparação do filme com outros dois longas excelentes e também coreanos, Memórias de um assassino e Oldboy, do primeiro, temos as garotas mortas e estupradas, o trabalho da polícia no caso, e a possível discussão sobre os métodos que o personagem principal usa para fazer sua vingança, do segundo, temos reviravoltas tão impactantes que funcionam como um soco no estômago.

A ação do filme poderia ter prejudicado a história justamente por muitas pessoas talvez não acreditarem ser possível o personagem principal conseguir fazer tantas acrobacias e movimentos de artes marciais, mas como se trata de um agente especial, onde seu sogro é um dos chefes da polícia, fica totalmente plausível para a história, e, além disso, é tudo tão bem orquestrado que nunca parece ser superficial, a ação acontece sempre para justificar o roteiro, nunca o oposto, por isso ela consegue servir tão bem ao seu propósito.

É com essa audaciosa mistura de ação, suspense, terror e alguns subgêneros que o filme parece encontrar sua força, onde outros dificilmente não conseguiriam, o diretor consegue unir todos esses estilos para criar uma história tensa que parece só crescer, até o momento final, quando (sem spoilers) os acontecimentos me deixaram com uma doída reflexão sobre o título americano do filme (não sei se o título original tem o mesmo sentido, “Akmareul boatda”), quem é o “diabo” do título ? Até onde o ser humano está disposto a ir por um sentimento? E quais são os preços que se paga ? Muitas dúvidas das quais eu talvez não saiba responder, mas tenho certeza que o filme valeu cada segundo destes questionamentos.

Link para o IMdB
Link para o trailer

Anúncios

7 pensamentos sobre “Eu vi o Diabo

  1. Gostei do filme, só achei um pouco cansativo mas o final, exatamente a cena final – arrebatadora graças ao excelente ator – compensa alguns excessos de roteiro. Do diretor Kim Ji-woon eu ainda prefiro o A Bittersweet Life, protagonizado por Lee Byung-hun, protagonista também do I Saw the Devil.

    Curtir

  2. Primeiro gostaria de dizer que não sabia da mudança do endereço, estava acessando o antigo endereço e achando que tinham desistido.

    Mas com relação ao I Saw the Devil, puta filme bom do caralho. É só o que eu tenho a dizer.

    Curtir

  3. Parabéns pelo post, esperei assistir o filme para comentar aqui e posso dizer que concordo e muito com seus argumentos o filme é ótimo e merece ser visto, só no final, com receio de dar spoiler, que você me deixou um pouco em dúvida, fiquei o filme todo com a expectativa que teria algum elemento sobrenatural, e não tem, é um filme sobre monstros, mas os monstros são homens.
    Quem ainda não viu, veja, vale o tempo.

    Curtir

  4. Muito legal o post de vocês, parece ser um filme muito interessante, vou tentar ver essa semana 🙂 Esse vai ser mais um filme para a minha lista, a cada dia que passa a minha lista cresce, o que me deixa feliz é saber que muitos desses filmes vão passar na HBO e eu não preciso me preocupar em buscar 🙂 Enfim, obrigada pela dica….beijos!

    Curtir

  5. Não vi todos os filmes coreanos recomendados, somente Oldboy mas apenas por ele pode-se ver a qualidade.

    Espero que ninguém em Hollywood esteja interessado em “refilmar” pra que aquele americano “médio”, ou burro como diria Johnny Depp, entender!!

    Curtir

  6. Pingback: Akmareul boatda « mind.4.fuck

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s