Latrina Trash #01

Olá leitores, bem vindos a esse canto escuro da masmorra, o lugar perfeito para o cinema de qualidade onde o sangue falso jorra e os erros de continuidade, os defeitos especiais e a canastrice dos atores abundam! A galera dona das chaves cedeu gentilmente este espaço pros seres insanos de The Dark One Podtrash. Sim! Vamos falar sobre os filmes trash. que tanto amamos odiar! É com orgulho que aceitamos este convite do Cinemasmorra para falar sobre o cinema podreira.

Mas “Cinema Trash” é um conceito muito amplo. Nem mesmo a equipe do Podtrash chegou a um consenso – e talvez seja essa a magia do negócio todo. A seguir vamos falar sobre algumas idéias e definições sobre esses filmes tão deliciosamente toscos.

Em primeiro lugar, apesar de desejável, um filme para ser considerado trash não precisa necessariamente ser ruim ou ter baixo orçamento. E nem ser exclusivamente de zumbis! Se bem que uma obra com zumbis reanimados por alienígenas vestindo uniforme de papel-alumínio e capazes de prever o futuro certamente ganha o troféu The Dark One do trash!

Pois vejam só que coisa: esse filme existe! Acabamos de falar de Plan 9 from Outer Space, do genial diretor Ed Wood! Que é estrelado por Bela Lugosi. Sim, ele mesmo! O maior drácula da história do cinema.
Mas o cinema trash não pertence a um gênero específico. Na verdade ele é um rótulo. Neste magnífico mundo existem milhares de tipos de filmes que uma mente criativa e tosca pode conceber, é só escolher: temos suspense, ação, comédia, terror, aventura, sci-fi, pornôs e qualquer outo gênero que possa existir.

Então gostamos de definir o que pode ser considerado trash pela “poesia do filme“. Ou seja, pelos conceitos de produção e não pelos efeitos especiais. O filme precisa ter a alma do cinema independente, seja no roteiro, na produção, nos diretores ou até mesmo na busca por um público bem específico.

Por muitas vezes, algumas pessoas consideram um filme trash enquanto outros não. Um bom exemplo disto é o recente Ninja Assassin produzido pelos “irmãos Wachowski” , os cineastas responsáveis pela produção, roteiro e direção da trilogia The Matrix. Esta pérola recheada de sangue digital custou nada mais, nada menos que 40 milhões de dólares e tem no papel principal Bi Rain, a maior estrela sul-coreana do cinema de ação. Mas por que essa obra seria trash? talvez porque simplesmente ninjas trocando espadadas em uma avenida movimentada com baldes de sangue mal feito joespirrando pra todo lado da tela, é trash. Vejam um trecho abaixoe tirem as suas próprias conclusões:

Ah é, esse tipo de cinema repleto de ninjas assassinos costuma atrair um público jovem que se amarra nas cenas de ação, mas também cativa os nostálgicos marmanjos outrora adolescentes dos anos 80, essa época dourada do trash, recheadas de pérolas como o Ninja 3, a dominação:

  • Piscinas de sangue. isso é essencial para o Gore. Filmes como “Fome Animal“, “Holocausto Canibal“, “Ichi, o Assassino” e vários outros são trash em primeira instância pela quantidade colossal de sangue usada, muitas vezes medida em caminhões pipa.
  • Figurino multi-colorido, berrante, horroroso e mal feito. “Quinto elemento“, “Cool as Ice“, “L’armata Brancaleone” são assim.
  • Faíscas caindo do teto sem motivo aparente. É um fator controverso, mas se usado de forma ridícula e sem sentido, pode ser considerado trash. A maioria dos filmes sci-fi dos anos 60, 70 e 80 tem as malditas faíscas. O cinema de ação dos anos 80 também, pois em sua grande maioria, no final, o herói acaba brigando em uma fábrica/metalúrgica/mecânica só para que elas caiam. Exemplos: “Stallone Cobra“, “Comando para matar“, “Star Trek“, “Battle Beyond the Stars” e etc.
  • Física irreal. Qualquer cena que demonstre que as leis da física são irreais, dá muito potencial para o filme ser trash. Explosões no espaço sideral, bitucas de cigarro explodindo postos de gasolina, quedas absurdas, acrobacias fantasiosas, etc. Representantes desta característica temos: “Independence Day“, “O Último Guerreiro Estelar“, “American Ninja” e etc.
  • Monstros Gigantes. Este não tem erro. Se o filme tem monstros gigantes é trash. Basta lembrar do “Godzilla“, “King Kong“, “50 feet Woman” e etc.

Controvérsias sobre a definição de um filme trash sempre vão existir (o gosto e o interesse pessoal pelo tosco variam de espectador para espectador), mas podemos citar algumas características quase sempre unânimes em obras com esse rótulo:

A lista é infinita e esses são apenas alguns exemplos! Caso o leitor queira acrescentar algo ou não concorde com alguma idéia nossa, mande emails e sugestões para latrina@td1p.com.

O cinema trash é controverso, polêmico, tosco e, principalmente, muito divertido! Participem!

A galera de The Dark One Podtrash.

Anúncios

9 pensamentos sobre “Latrina Trash #01

  1. Normalmente não gosto de filmes trash, mas assim como foi dito nos primeiros parágrafos, não entendo muito bem o conceito. Na minha opinião (que provavelmente está errada) um filme trash é aquele com muita ambição, mas que tem um péssimo resultado, levando em conta o contexto em que está inserido.

    Esse problema é ainda maior, porque muitas vezes se confunde com um filme clássico ou cult. Li no blog do Treymen, o post “O Guia Definitivo do Cinema Trash – A década de 30”, e ele coloca vários filmes que são cult ou muitas vezes considerados clássicos, citando um como exemplo: M, o Vampiro de Dusseldorf (1931) – em qual conceito ele se encaixaria!? Muitos consideram o melhor trabalho de Lang, na minha opinião um bom filme, porque ele seria um filme trash? O remake de 51 que deveria ser trash.

    Citando o texto, “O filme precisa ter a alma do cinema independente, seja no roteiro, na produção, nos diretores ou até mesmo na busca por um público bem específico.”, seguindo está linha, filmes do Kassovitz, da Sofia Coppola, dos irmãos Dardenne, ou até mesmo os filmes recentes do Gus Van Sant, dentre outros, que tem a “alma” do cinema independente, seriam trash, indie ou cult?

    Um filme que assisti esse final de semana e considero trash é aquele filme The Conqueror, um filme de 1956, com John Wayne representando Genghis Khan, um filme em que todos os realizadores (incluindo o próprio Wayne) acreditavam que seria um épico, mas o filme é muito ruim. Depois de assistir fui pesquisar no IMDB e encontro a seguinte curiosidade: Howard Hughes produziu o filme, mas depois de exibido comercialmente, ele percebeu a reação do público e crítica, e comprou todas as copias, proibiu de ser exibido na televisão por 17 anos. Quando o produtor tem vergonha do seu trabalho é sacanagem, isso sim, é a alma do trash!

    Enfim, não chegando à uma conclusão, não acho necessário rotular tudo, o importante é assistir bons filmes independentemente do país e ano em que foi feito. Ótima discussão!

    Curtir

    • Olha Daniel, como eu e o Exumador falamos no texto, trash é algo muito abstrato. Trash é surreal. Trash é tão ruim que fica bom. Trash é o filme incomum. Trash é baixo orçamento bem aproveitado. Trash é um grande orçamento mal aproveitado. Trash é filme que amamos odiar. Trash é diversão.

      Curtir

  2. “O cinema trash é controverso, polêmico, tosco e, principalmente, muito divertido!” – Concordo e assino em baixo!! Ninguém assiste um filme trash (ou thrash?) esperando algo super produzido ou com um enredo complexo e profundo (embora alguns tenham uma gota do último item).

    Fica a minha dica: Quando for ver um filme sabendo que se trata de algo trash, chame os amigos, a namorada (ou não, depende do nível de não me toque), estoure umas pipocas amanteigadas e faça bacon com cheddar no grill (hmmm), e dê risada o filme inteiro, caso não consiga, o que é realmente difícil, mas sempre tem os tipos sérios e movidos ao paradoxo do humor, o bacon estará lá para suprir isso! XD

    Abraços! E estou ansioso para o próximo post!!

    Curtir

  3. Pingback: The Dark One Podtrash » Podtrash 57 – Entrevista: Francisco Brêtas

  4. Horror galera do Podtrash!

    Tirando o Gore, o texto de vocês sugere que Guerra nas Estrelas é trash. Temos:
    – Figurinos berrantes e multicoloridos. Roupas dos troopers imperiais, todas as roupas da Leia, Trilogia nova e etc
    – Faíscas caindo do teto. Várias vezes, como na luta do Luke e Darth Vader.
    – Física irreal com as explosões e sons no espaço!
    – Monstros gigantes, como o Jaba, o bicho que vai comer o Han Solo no Jaba, Monstro do Lixo e etc.

    Sou só eu, mas começo achar que Guerra nas Estrelas é trash?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s