No Dia Internacional da Mulher: Exerço meu direito e dever e divulgo uma injustiça

 

Denúncia: E quando a culpa é do pedestre? from Cine Masmorra on Vimeo.

Vou pedir licença pro cinema e falar de algo que me aconteceu no dia 01/03/2012.

Nesse dia, sofri um acidente na ciclovia que percorro todos os dias para ir e voltar do meu trabalho, a ciclovia de Santos – SP.

Um pedestre de costas para a mesma, subitamente se virou e atravessou fora da faixa. Pouco importando se estavam passando bicicletas ou não.Vamos lembrar: Bicicletas são veículos e são silenciosas.

Eu tive a reação que qualquer motorista teria:  tentei desviar .Infelizmente, caí e me machuquei seriamente.

O que essa situação (que não tem nada de excepcional, pois acidentes acontecem) tem de diferente é que quando eu reclamei da falta de bom senso do rapaz (que nem uma mão me estendeu para que eu me levantasse) e disse que se eu estivesse com a minha filha as consequências seriam outras.

Ele respondeu: “Você não pode fazer nada”

Fui embora sangrando, em choque. E com essa frase atravessada na garganta.

Em certo ponto parei e fui ver se não tinha quebrado o meu celular, ou os meus pertences.

Parei. Pensei. Refleti: Quão injusta é essa situação!

Voltei no Clube onde ele estava prestando serviços e fui falar com ele, e ele me recebeu com surpresa e indignação.

Em certo ponto, até ofereceu ironicamente o R.G. caso eu quisesse tomar alguma providência contra ele. Isso tudo teve testemunhas, todo mundo embasbacado com a atitude do cidadão.

As pessoas falavam: “Vai na polícia, registra um B.O. disso”.

Impunidade é uma coisa que revolta as pessoas.

Tentei registrar um Boletim de Ocorrência. O vídeo acima é a captação da minha conversa com o funcionário que estava no plantão que (em teoria) deveria estar ali presente para que nós cidadãos tivéssemos o direito de registrar uma ocorrência, uma fissura na ordem estabelecida.

Ressalto que gravei porque em outras situações recebi variações desse tratamento.

Quando a minha casa foi assaltada: ” Esquece minha filha, isso não vai dar em nada” – essa foi a resposta no DP de Guarujá .

Se eles tivessem se dado ao trabalho de investigar, iriam descobrir – como descobri depois – que era o neto de uma das vizinhas. Pois é.

Agora eu lhes pergunto: Será que se fosse um homem a vítima nessa situação, esse rapaz teria essa mesma atitude?

Isso poderia ter acontecido com você motorista, ciclista que precisa ir e voltar do seu trabalho todos os dias.

E acontecem barbaridades assim com todas as mulheres, dia após dia.

Meus pais me deram uma boa educação. Eu nunca assistiria alguém cair no chão, sem tentar ajudar.

Hoje em dia, as pessoas acham engraçado quando alguém cai.

Poucos ajudam.

E tem site que até publica montagens com as melhores quedas e acidentes.

Essa é a herança que nós vamos deixar para os nossos filhos? Eu não!

Feliz Dia Internacional da Mulher.

E que os seus direitos sejam respeitados.

Como cidadã trabalhadora, mãe e como ser humano.

Obrigada, agora voltemos ao cinema.

Angélica

Alguns links:

A cidadania e o trânsito

Compreenda o conceito de ser pedestre respeitando o trânsito

Pedestre: O infrator que nunca é multado

Vídeo: Pedestre imprudente tem culpa exclusiva em atropelamento

Estatuto do Pedestre

No Peru, mais de 1.000 pedestres recebem multas

Pedestre sofre, mas também desrespeita.

Pedestre é indiciado em homicídio culposo em acidente

 

Anúncios

24 pensamentos sobre “No Dia Internacional da Mulher: Exerço meu direito e dever e divulgo uma injustiça

  1. Eu que já precisei registrar boletins de ocorrência sei bem como é passar por esta situação, é difícil acreditar que a policia civil esteja a serviço do cidadão após passar por isto, e ouvir relatos como este, a sensação é desesperança.

    Curtir

  2. Mas é um babaca esse rapaz do atendimento.
    Se acha Juiz de Direito, pra julgar quem estava certo ou errado ali na hora, sem apreciação nenhuma.
    Absurdo isso

    Curtir

  3. O mundo é muito bizarro. Não sei se é a verdade homem x mulher como citou ou incapacidade mental que as pessoas parecem sofrer. Ex: todo dia a ana la do CC passa pra me pegar. Moro próximo do centro da cidade e atravessar é um caos ao ponto de um pedestre parar frente ao carro, puxar um pao de queijo, comer e depois voltar a atravessar. Hoje, rimos, mas se não fosse perpicacia de quem dirige, poderia ter alguem ali caído e de quem ia ser a culpa? Se o sinal estava verde?
    Complicado Angel, e pior ainda, é a incompetencia da policia…

    Curtir

  4. O atendente não tem que dar a opinão dele. Ele está ali para proteger e SERVIR. Um absurdo esse tratamento.

    Quanto o rapaz que lhe fez tombar,não tenho embasamento para dizer se ele está legalmente certo ou errado. Mas posso dizer que moralmente ele está errado.

    Curtir

  5. Não querendo dar uma de “Advogado do Diabo” mas há dois pontos a ressaltar nessa situação:

    1) o funcionário (infelizmente) está certo em lhe dizer que a responsablidade é SEMPRE do proprietário do veículo, seja este veículo qual for.

    2) mas o funcionário também está errado em não lhe prestar o serviço que ele é OBRIGADO a fazer. Você foi lá registar uma ocorrência, ele deveria sim registrá-la, não imortando o motivo ou necessidade dessa ocorrência.

    Espero que você melhore de seus machucados, Angelica e da próxima vez ATROPELA o idiota logo! hehehehe (é brincadeira, OK?)

    Curtir

    • sobre a culpa ser SEMPRE do motorista gostaria da opinião de um advogado se houver um entre nós, pelo menos pra ter uma segunda opinião por que eu consultei um advogado a respeito e ele me disse que isso não é verdade. Agora estou confuso.

      Por que se realmente isso não for verdade, estamos muito mal informados. Alguém aí tem uma opinião de especialista?

      Curtir

  6. Cara Angélica, posso imaginar sua indignação. Realmente não existe nada na Lei para que possa ser feito algo contra esses indivíduos na esfera Penal. No entanto, ainda que não exista lei, isso não impede que você possa procurar a Justiça. Se você sabe quem foi que lhe causou dano, se existe testemunhas do fato, além do mais você pode voltar na DP e exigir que façam o BO para que possa usar como prova. Pela Lei Civil, quem causa dano físico a alguém pode ser condenado a pagar indenização material relativa aos gastos que vc teve com tratamento, conserto da bike etc, além de também indenizá-la por Dano Moral. Procure um Advogado, ou se quiser, procure o Juizado Especial Cível de sua cidade, acione o cara na justiça por Danos materiais e Morais. Não precisa de advogado se o total das indenizações for de 20 salários mínimos. Lembre-se que, independente de haver lei ou não, a Justiça é obrigada a julgar e decidir sobre o caso, é uma Garantia Fundamental prevista na Constituição.

    Curtir

  7. QUerida Angélica,

    Fiquei muito triste com esse relato. Foi uma tremenda falta de cidadania por parte do policial e, principalmente, por parte do sujeito que você desviou.
    Pra início de conversa, já poderíamos falar em um crime chamado OMISSÃO DE SOCORRO (art. 135 do Código Penal).
    Se quiser alguma orientação jurídica, estou à disposição para ajudar o máximo que puder.
    Abraço.

    Curtir

  8. sair em vicente de carvalho está se tornando cada dia mais insuportável, aliás, sair de casa está cada dia mais difícil. para mim é extremamente frustrante ter de lidar com a ignorância e falta de respeito dos outros. imagino quão indignada vc deve ter ficado, e com mta razão! injustiças e a merda do crime de prevaricação é uma constante. esse tipo de papinho nas dps é bem conhecido por mim tb, há alguns meses só consegui registrar um b.o. pq “alguém que conhecia alguém” ajudou, visto não haver existência de crime propriamente dito. isso gera revolta e nos faz pensar a como responder a essas situações negativas. olho por olho dente por dente ou a meditação e o crescimento intelectual é o caminho? certas horas eu quero é sair matando alguém, rs, mas com a cabeça fria nos conseguimos entender a limitações dos outros e procuramos justificar suas ações com base em seus poucos bons exemplos familiares. enfim, vou morar em uma caverna, é a saída! abraços

    Curtir

  9. Acho que “Direitos”, antes de uma questão jurídica, é uma questão moral.Infelizmente, moral é uma coisa cada vez mais rara entre as pessoas. Os exemplos citados por você, Angélica, ilustram bem isso. Sou solidário, pois sei como é terrível a sensação de vazio diante da impunidade. Infelizmente, por mais honestos e justos que cada um de nós procure ser, existem aqueles que se aproveitam da bondade para pisar o próximo.

    Por isso, sou a favor de toda mulher fazer um curso de defesa pessoal…

    Justiça, e melhoras.

    Curtir

  10. É muito injusto toda essa “enrolação” na hora de ir atrás de justiça; mas nada justifica o “cidadão” ter negado auxilio principalmente por ele ter causado o acidente.

    Curtir

  11. Angélica, lamento pelo seu acidente e pela infeliz experiência. Assim como você, faço parte de uma infeliz minoria de brasileiros que acha que devemos ser responsáveis, politizados e educados. Mas um dia espero que sejamos maioria.

    No mais, parabéns pela atitude cidadã de mostrar essas injustiças. Intolerável e inaceitável que tenha acontecido, bem como seus prolongamentos, mas pra te dar um mínimo de conforto, asseguro a você: está certíssima.

    No mais, um abraço!

    Curtir

  12. O sentimento de impotência que a gente tem ao ouvir a discussão entre você e o policial foi a mesma que eu senti ao ler o livro “O Processo” de Kafka. É muito non-sense! Parece conversa de louco. Por favor, nos conte o desenrolar do caso.

    Curtir

  13. Nossa, que coisa Angélica.

    Infelizmente essas atitudes egoístas continuam a acontecer. Mas a solução é essa mesmo: dar educação pra sua filha como a melhor possível. E, claro, quando vir algo errado, ir lá e falar.

    Vamos esperar que alguma coisa mude, pelo menos.

    Curtir

  14. Nossa, o mais triste é ver esse Marcelo ser tão ignorante, e ainda dizer que fez vários cursos sobre prevenção de trânsito.
    Eu sou ciclista, e concordo com você. No trânsito somos todos responsáveis, incluindo o pedestre. Muito triste isso, mas espero que você consiga resolver essa questão, se precisar de ajuda, pode me procurar, eu pedalo há 7 anos. Abraços.

    Curtir

  15. Sou pedestre na maioria das situações que envolvem o trânsito, uma coisa eu posso afirmar com certeza: Nunca, NUNCA tive uma aula ou li um folheto oficial me explicando qual o comprotamento correto de um pedestre. Ou até de um ciclista.
    Digo isso porque me lembro de ter tido “aulas de trânsito” em que apenas as regras para motoristas de carros eram ensinadas. Nada, absolutamente NADA sobre como o pedestre ou ciclista deve agir ou como agir com o ciclista é ensinado nas escolas, tanto as normais como as autoescolas.

    E isso não tira a responsabilidade do sujeito que, no mínimo, deveria ter tido educação suficiente para te socorrer depois da besteira feita. Mas é uma dica de onde deveríamos começar a mudança de atitude: Educação sobre TODOS os aspectos do trânsito, e não apenas
    Não vou falar nada sobre quem te atendeu na delegacia pq não consegui escutar o áudio (onde tá o link?), mas sei como estes caras são.. não merecem 10% do salário que recebem.

    Curtir

  16. olha moça, com todo respeito. entendo sua situação e tudo, mas se vc é barbeira e cai da bicicleta que culpa tem o rapaz? vamos ouvir os dois lados da moeda, n é mesmo?

    Curtir

    • “Um pedestre de costas para a mesma, subitamente se virou e atravessou fora da faixa. Pouco importando se estavam passando bicicletas ou não.”

      Não sei se eu compreendi errado mas, segundo a Angélica, ela caiu exatamente porque o pedestre fez besteira, não ela.

      Curtir

    • … ” se você é barbeira e cai de bicicleta…”

      Amigo, me diga quanta informação você tem para afirmar que a Angélica é “barbeira”… Ou você acredita no seguinte “argumento”:

      “fulana caiu… Logo é barbeira…”

      Ou você simplesmente se “esqueceu” de nos informar sobre como chegou até essa conclusão…

      Meu amigo, se você gostaria de argumentar, está fazendo isso errado… Mas se quer apenas julgar sem embasamento, que é o que geralmente faz quem não sabe do que está falando, mas quer aparecer… Parabéns e obrigado por nos presentear com sua ignorância, volte sempre.

      Curtir

  17. Como assim barbeira????Falta de educação, vc nem conhece a pessoa e outra se não percebeu vc foi o único insensível a só criticar…Angélica pode contar conosco para divulgar este fato, vamos colocar no face, e-mail, twiter o que for necessário. Não podemos nos calar, vamos exercer nossos direitos…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s