Desafio do Destino – Resenha de Iêdo Jr.

 

DESAFIO

Como reagem seus sentimentos perante certos filmes? Você seria daqueles que assistem as obras de forma impassível, sem transparecer as emoções? Ou costuma ter raiva, sorrir, chorar? Pois bem, alguns filmes mexem muito com meus sentimentos, e não sei quanto aos leitores, mas as películas bobas, simples e baratas costumam me despertar várias sensações. Sei que prezamos por belos filmes onde a arte cinematográfica de contar histórias é elevada a um grau de cultura, na maioria das vezes, superior. Todavia, resolvi falar de um singelo filme da Disney que me envolve emocionalmente todas as vezes que assisto: The Rookie (Desafio do Destino) – 2002.

Os caros leitores vão perceber que estou escrevendo sobre mais um filme de esporte, bem como ligado ao baseball. Na verdade, o baseball é um dos meus esportes favoritos, perdendo apenas para o futebol. Apesar de ser um jogo lento, de muito pouco contato e de difícil compreensão, é um esporte empolgante e cheio de suspense. Dependendo da situação, cada partida é como se fossem cobranças de penaltis, que podem levar o torcedor de uma situação de extremo nervosismo a de completo alívio e alegria. Ou seja, um jogo onde suas emoções podem ir de um extremo ao outro num arremesso ou numa rebatida de bola. Penso que foi essa a intenção deste filme, emocionar da mesma forma.

The Rookie conta a história de Jim Morris, um professor de química e técnico do time de baseball de uma escola do Texas. Amante do jogo desde muito jovem, Jim consegue inspirar seus jogadores fazendo-os ganhar um campeonato prometendo a eles que, mesmo com idade avançada, iria fazer testes para tentar entrar em alguma equipe profissional. No passado, o professor de química teve aspirações de se tornar jogador, mas um acidente o afastou deste sonho. Apesar da idade, percebeu que seus reflexos como arremessador estão melhores do que quando era mais jovem. Só que agora é um pai de família e muito velho para conseguir entrar na Liga. Uma história real, inspiradora e motivacional que nos emociona a cada barreira ultrapassada por Morris.

O filme é mais um dirigido por John Lee Hancock, que adora fazer filmes que se focam na superação de objetivos e realização de sonhos, cheios de carga dramática para mexer com os sentimentos do expectador. Estão no seu currículo, por exemplo, Um Sonho Possível de 2009 (filme que rendeu um Oscar para Sandra Bullock) e O Álamo de 2004. O roteiro ficou por conta de Mike Rich, também responsável pela história de outros filmes dramáticos como Secretariat – Uma História Possível (2010), Meu Nome é Radio (2003) e Encontrando Forrester (2000). Só a junção desses dois nomes já explica porque Desafio do Destino pode levar às lágrimas.

Jim Morris é interpretado por Dennis Quaid. O ator ficou ótimo no papel e convence com sua interpretação. Quaid transmite bem o conflito do personagem que busca um sonho mas que luta contra o preconceito por sua idade e o peso da responsabilidade de um pai de família. Além do mais, apesar de curta, foi muito boa sua interação com o ator Brian Cox, que faz o papel do pai de Morris, um homem rigoroso que não vê com bons olhos as aspirações pelo esporte do filho, criando um desgaste entre os dois e que explica porque o professor desistiu dos sonhos no passado. Enfim, o filme gira em torno do personagem de Quaid, então sua responsabilidade na atuação, para mim, num filme que tem o intuito de emocionar, é de fazer com que o público possa sentir o personagem, se identificar com ele e, a partir daí, receber a motivação necessária que sua história quer passar. Para mim, Quaid cumpriu esse objetivo.

The Rookie é, sem sombra de dúvidas, um bom filme para se sentir bem. Mesmo quem não entende nada do esporte vai compreender as dificuldades pelas quais passaram Jim Morris para realizar um sonho. A parte mais emocionante para mim, onde choro copiosamente, é justamente na parte final, na qual nos tornamos uma das pessoas próximas do personagem, cheios de orgulho por um pai, um marido ou um amigo próximo que conseguiu vencer um obstáculo.

Portanto amigos, sabemos que cada um tem uma história de vida. Cada um de nós enfrenta todos os dias suas dificuldades, perseguem seus sonhos e tentam ser melhores no que fazem. E ao vermos histórias como essa, nos permite perceber que o segredo não está em superar os outros, mas superar a si mesmo e nunca desistir.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s