Batendo Papo na Masmorra : Sobre as Manifestações

Manifestação-São-Paulo-Praça-da-Sé-18-6-540x317

Nesse momento histórico que nosso país vive, com muitas manifestações na ruas Angélica Hellish e Marcos Noriega convidaram o Dr. Giovanni Alves da UNESP Marília do site Tela Crítica e Douglas Fricke  que leciona História e participa do Podtrash para fazer uma análise dos acontecimentos depois de mais de 23 dias de protestos.

Visite:

Transparência Brasil

Podtrash – Canal no Youtube The Dark One Productions

Tela Crítica – Cinema Como Experiência Crítica

Confira a entrevista que Giovanni Alves concedeu  ao Instituto Humanitas Usisinos

Blog da Boitempo 

Conheça os livros de Giovanni Alves

PARA FAZER DOWNLOAD, CLIQUE AQUI E SELECIONE SALVAR LINK COMO
NOVO FEEDhttp://www.podcastgarden.com/podcast/podcast-rss.php?id=7567 Assine  e conheça todos os nossos podcasts

Masmorra no Twitter e no Facebook 

Anúncios

19 pensamentos sobre “Batendo Papo na Masmorra : Sobre as Manifestações

  1. Pingback: Coletânea Podcast: Protestos | Telhacast

  2. Caraca! Esse foi o melhor podcast sobre os #ProtestosBR que eu ouvi. Parabéns galera! Vou trazer aqui minha contribuição.

    Eu concordo que existem setores a quem interessa a desestabilização do governo petista, mas acredito que essa ideia de golpismo ainda seja um exagero. Tudo bem que muitas pessoas estão indo às ruas com cartazes do tipo “Fora Dilma”, e que isso é destacado pela mídia tradicional, porém, basta participar de qualquer manifestação que vamos ver o povo insatisfeito com TODOS os níveis da federação e com todos os poderes da República. Há pessoas falando contra a Dilma, mas também há aqueles que se manifestam contra o Aécio Neves, contra a Globo, contra a Veja etc. Não sei se todo esse povo pode realmente ser usado como massa de manobra por possíveis golpistas e desestabilizadores da direita.

    Sobre o apoio que TEORICAMENTE a imprensa tradicional tem dado às manifestações, acredito que ele não seja tão verdadeiro assim. Tudo bem que o discurso do PIG tem sido o seguinte: “a manifestação era pacífica, mas uma minoria de vândalos infiltrados no movimento começaram o quebra-quebra e entraram em conflito com a polícia”. Porém, como vocês mesmos colocaram no podcast, essa imprensa mostra mais imagens do quebra-quebra e dos confrontos do que imagens da manifestação pacífica! Eu acho que as pessoas gravam mais aquilo que elas veem do que aquilo que escutam, então, o que está ficando para a população que está de fora dos protestos é o ~vandalismo~.

    Curtir

  3. Greetings!

    Acabei de ouvir o cast. Gostei bastante do conteudo. Achei bacana deixar a pauta um pouco de lado e cobrir um pouco esse momento importante do país (no qual eu lamento muito nao ter podido participar…).

    “O gigante acordou”. É tambem nao concordo muito com isso.. eu acho que a chaleira explodiu!

    Eu tenho conversado muito com meus amigos sobre isso… a verdade é que tudo no brasil andava muito “cartunesco”. A situaçao, os desmandos, os absurdos, TUDO estava errado num nivel acima do compreensivel. Estava parecendo piada. Mas piadas das que te fazerm rir pelo absurdo…

    E quando mais uma dessas piadas absurdas (a reação da PM paulista) aconteceu, rolou a gota d`agua que entornou o copo: O brasileiro (FINALMENTE!!!) cansou de ficar calado e foi pras ruas. Foi pras ruas pra gritar “Chega dessa porra!! Cansei!!” (musica de fundo “We’re Not Gonna Take It” do Twisted Sister… ehehehehhe).

    Mas como me disse alguem, ninguem fica politizado da noite pro dia. E logo descobrimos o que acontece quando a “Classe media Sofre” va pras ruas. O que começou como um movimento livre, ficou ridiculo e ganhou contornos de micareta! Apartidarismo se confundiu com ANTIpartidarismo, e até (pasme…) integralistas (nossa versão dos facistas) apareceram nas ruas. E tome acusaçoes de “midia golpista pra lá” “reaças pra cá”…

    Mas no geral eu achei bom. O povo se nao mais, no minimo aprendeu que se ele fizer barulho, os la de cima tem que ouvir…e isso ja é muita coisa!!

    Alguns pitacos:

    1) Sobre o cast/ convidados: Achei bom, mas achei o Giovani parcial demais. Nao sei, eu gostaia de ver uma visão mais “neutra” digamos assim. Ele me pareceu um tanto “conspiracionista” (insinuando que essas manifestaços so estao ai pra minar o governo que é lindo/ maravilhoso…).

    2) Sobre “Vandalismo”. Tenho mina opinião bem particular sobre isso… Acho MUITO JUSTO quando no meio de uma manifestaçao desse tipo que o povo volte sua fúria contra prédios como a ALERJ, bancos, ônibus… Por que? Porque esses são SÍMBOLOS do que lhes causa insatisfaçao. É assim em TODOS ols lugares do mundo, foi assim durante toda a história ( como o Douglas bem frisou) e nao vai mudar! Sou contra depredarem um teatro mmunicipal, uma biblioteca, etc… E, há de se convir que protestos pacíficos nunca levaram ninguem a lugar nenhum…

    3) Sobre as formas de governo. Achei interessante o que o Marcos (acho que foi ele…)falou. Algo no sentido de “nao se pode jogar tudo que se construiu no lixo e começar do zero”. Claro que pode! Um dia me disseram ” QUando sua casa/ quarto esta bagunçada demais o que vc faz? Tira tudo do lugar, joga tudo no chao e começa a arrumar!” É disso que trata o cláaaassico “V de Vingança”. A Anarquia é um “entre governos” e o caos que promove mudança. Mas é temporário. Seria na minha opinião a forma mais perfeita de governo se nao fosse totalmente contra a natureza humana… mas é ótima pra “sacudir a poeira”.

    Enfim acho que ja me alonguei demais… volto mais tarde pra continuar o papo

    Abraços!!

    Curtir

  4. Fantástico. Democracia é conviver com as diferenças e entender que um interesse não precisa se sobrepor ao outro. Ninguém é mais importante que ninguém.

    Participei de algumas passeatas da Marcha da Maconha e presenciei a truculência policial que teve muito pouco espaço na mídia, afinal, quem quer ouvir o que o “maconheiro” tem a dizer? Acontece que tem muita gente co idéias diferentes envolvida e tentando discutir a questão, que é séria. Não precisa ser usuário, basta ouvir e ajudar a chegar num consenso justo. Mas o Estado não quer isso. Seja qual for a mudança, ele vai embarreirar.

    Abramos o olho.

    Curtir

  5. Grande discussão, uma pena eu não ter podido participar. Tenho muito pra falar sobre o lado cultural dessas manifestações.

    No mais, muito inteligente o Giovani nas suas considerações, assim como o Douglas, Noriega e Angélica. Tudo muito lúcido e inteligente.

    Parabéns pelo Cast. 😎

    Curtir

  6. Eu me incomodo muito com essa descrição “de esquerda”, “de direita”, pois parece que você tem de pertencer a um “gueto” de um lado ou de outro e não pode avaliar ideias de outrem. Eu sou a favor de ações afirmativas para pobres e bolsa para regiões dominadas pelo coronelismo assim como maior rigor para criminosos realmente perigosos (de menor ou não).

    Acho muito curioso quando um manifestante “de esquerda” reclama com razão quando tacam fogo em bandeiras mas aplaudem quando jornalistas da famigerada globo são atacados. Por mais que nos sintamos vingados contra partidos políticos oportunistas e redes de jornalismo asquerosos, deve-se prevalecer a razão e a justiça em detrimento de sentimentos de vingança.

    É lindo essa maior politização do Brasil mas me incomoda muito a falta de autocrítica de pessoas sectárias. Aplaudo este cast e este canal, pois acredito que é feito por pessoas realmente idôneas.

    Grato por lerem meu desbafo e um grande abraço!

    Curtir

  7. Excelente cast!
    As análises do Dr. Giovanni e do Exumador, os comentários do Noriega e da Lady Hellish, ampliam nossa visão e compreensão dos acontecimentos por todo país.
    Parabéns!

    Curtir

  8. Concordo com o Thiago sobre o fato de o Giovanni Alves ter sido um tanto quando chapa branca na sua explanação. Além do mais, fui lá no blog da Boitempo ler o artigo que ele recomendou. É interessante que, além dos jargões marxistas, a palavra mais repetida no texto foi “manipulação” e seus derivados. Como se todos que tivessem ido pra rua depois do dia 17/06 fossem robozinhos comandados pelas grandes empresas de comunicação! Não sei quanto a vocês, mas eu, pelo menos, não fui pra rua manipulado por ninguém!

    Curtir

  9. Olá Masmorra !
    Meu nome é Henrique , tenho 47 anos , sou motorista de caminhão no Japão e adoro trabalhar ouvindo podcasts .

    Adorei também o Programa sobre as manifestações onde vocês demonstraram imparcialidade e desprendimento nos comentários .

    Bem ao contrario de um famoso Podcast que até me simpatizo ( q prefiro não dizer o nome , pois meu intuito não é atacar ninguém ) , mas que no ultimo programa onde eles falam sobre as manifestações e a copa das confederações , é impressionante o medo deles de falarem da Rede Globo !
    Todas as citações foram sempre extremamente respeitosas e sempre ridicularizando todas as criticas que a ela foram dirigidas pelos manifestantes , ao invés de esmiuçar e detalhar os por quês das insatisfações .
    E sempre rindo muito , para demonstrar “imparcialidade” , ficaram fazendo muita chacota dizendo que daqui a pouco vão começar a acusá-los de reacionários e etc … enfim , sempre tentando colar uma imagem de burros aos críticos da emissora que eles parecem tanto amar .
    TODOS que falaram nesse programa foram em defesa total da Globo ! Interessante que um deles deixou escapar que a esposa trabalha numa retransmissora da Globo naquele estado .
    Vale também lembrar que o apresentador desse programa que é tambem publicitário , já declarou varias vezes que o sonho dele é ser entrevistado no Programa do Jô e que a pouco tempo atras deu uma entrevista na CBN que é uma rádio que pertence ao conglomerado Globo , inclusive ele deixou o link dessa rádio para quem quiser ouvir essa entrevista .
    Talvez outro sonho que ele nutre , seja um dia ter o seu programa nessa rádio .

    É duro que um dos meus motivos de preferir ouvir Podcasts , é justamente fugir dessas mídias convencionais que sempre necessitam obedecer as regras políticas impostas pela Rádio a que pertencem , mas pelo que vejo , alguns Podcasts já estão contaminados também .
    Infelizmente …..

    Curtir

  10. Então, vamos lá.

    Excelente cast, bem editado e as músicas foram bem escolhidas. O áudio do começo também empolgou. só uma ressalva, o monólogo do Giovanni impediu o podcast de ser um podcast, pois virou isso: ele falava e todo mundo ouvia. Como ouvinte, isso me incomoda um pouco. Prefiro quando todo mundo fala.

    Já estamos em um governo em direita desde que o PT chegou ao poder. Analisando: privatizou os portos, massacrou indígenas, através do jogo político colocou Feliciano na Comissão de Direitos Humanos e Blairo Maggi na Comissão de Meio Ambiente, e se omitiu sobre os abusos da polícia militar nas manifestações. Logo ela, que tanto apanhou na ditadura pela mesma polícia, por causa do governismo se omitiu covardemente. Portanto, eu te pergunto: governo de esquerda aonde? É uma das maiores besteiras e falácias achar que o governo de Lula/Dilma não está sendo a continuação do FHC. O PT está perpetuando o mesmo governismo, com a leve diferença que olhou um pouco mais para os miseráveis. Mas desde Feliciano e Blairo Maggi, chutou o balde em nome da reeleição.

    Outra coisa, todo mundo vê golpe: a esquerda acha que “está tudo muito estranho”, a direita enxerga nos médicos cubanos guerrilheiros, e a mídia teme que Dilma não seja tão afetada. Isso é histeria, pura e simples. O que aconteceu, na minha opinião, foi: o povo está na rua, todo mundo. Ao mesmo tempo em que bandeiras de partido foram retiradas a força, tem tanta gente gritando que tá tudo um caos. Mas eu não vejo isso de forma negativa, pois é exatamente este caos que está permitindo que os protestos não sejam manipulados por ninguém: esquerda, direita e mídia. Mais vale um jovem recém politizado do que um militante que defende os erros do governo, por mais absurdos que sejam.

    A meu ver, estamos diante de um levante popular, quase uma rebelião. Se bem que desde que o Brasil ganhou a Copa das Confederações, um dos grandes temas do protesto, parte dele diminuiu. Vamos ver o que se dará nas próximas semanas.

    Curtir

  11. Parabéns, o podcast ficou ótimo, entre todos que ouvi sobre o tema está entre os três melhores.
    Não acho que seja necessário concordar com tudo que foi dito, mas ponderar com as informações obtidas em outros canais e a opinião de outras pessoas para formar a própria, e essa oportunidade foi dada, através de pessoas maduras, cultas e sérias.
    Obrigado

    Curtir

  12. Muito boa a discussão, ficou bem interessante.

    Pessoalmente, acho interessante a existência de protestos sem partido não com o intuito de derrubá-los, mas para pedir alguma reivindicação e deixar que os partidos corram para ver quem atendê-la primeiro e agradar a população. Esse aspecto acho importante pedir-se reivindicação sem uma bandeira, pois se o “Partido dos Podcasters” pedir melhoria na educação, outros partidos não começar a dizer: “Isso é coisa de tal partido por causa disso e disso…”.

    Porém, a população pedir dissolução de partidos, ou deixar-se manobrar por eles é sempre um risco, pelo qual necessitamos estar sempre atentos.

    Muito bom o podcast! Parabéns a todos!

    Curtir

  13. Crias do Fórum Social no RS ganham seus 15 minutos e a bagunça está feita. O golpe de Estado tão anunciado quase veio, justamente num pronunciamento oficial infeliz de “constituinte específica”.

    Curtir

  14. Sempre quando alguém chama um professor de alguma instituição estatal, pode esperar que ele vai enaltecer as bandeiras socialistas, comunistas e bolivarianas.
    E se faz alguma crítica ao PT, é exatamente por este ter dado continuidade aos planos econômicos do governo anterior, mesmo que sem a mesma competência, e por não ser tão agressivo com as demandas socialistas. Foi muito claro em suas palavras de que desejava uma radicalização mais a esquerda do processo político e econômico.
    Na cabecinha mole desse professor, governo de direita só existe se tiver tanque na rua. Gozado né, as únicas ditaduras militares existentes hoje no mundo — que matam, torturam, censuram —, são aquelas com bandeira comunista e bolivariana, como Cuba, Coréia do Norte, China e Venezuela. E as terríveis teocracias, que todo mundo abomina, são aquelas alinhadas e parceiras adivinha de quem? Dos governos de esquerda. Mas é claro, essa brilhante mente deve achar que esses países são exemplos de democracia.
    Quer comparar quantas pessoas a ditadura militar brasileira prendeu ou matou com as mortes nas mãos de Stalin ou Mao?
    Ele detona a economia liberal, mas são os países que a adotam que mais crescem no mundo, veja por exemplo a Coréia do Sul, e até o nosso vizinho Chile.
    E falando em China, ela só virou essa potência quando abriu as portas da economia para o capitalismo. Só que diferente das democracias capitalistas que respeitam os direitos trabalhistas dos cidadãos, a concorrência, na China prolifera os baixos salários e o quase trabalho escravo. Quanta preocupação com o social, não é mesmo, caro professor?
    Todo comunista precisa de um inimigo, se não o discurso não fecha. Se o adversário da esquerda hoje é, pela falta de outros nomes, ainda alguém do PSDB, é claro que tudo o que um tucano disser vai ser taxado de discurso de direita, conservador, mesmo que os próprios tucanos não se consideram e não se comportem assim.

    É importante notar que a palavra conservador virou algo pejorativo na boca dessa gente. Como se fosse algo criminoso.
    Só o que é progressista é bom. Claro. Invasão de terra = progressista, portanto BOM. Direito a propriedade = conservador, RUIM. Usar drogas = progressista, BOM. Ser contra as drogas = conservador, RUIM. Demonstrar na constituição a legitimidade do direito a propriedade e a ilegalidade da invasão ou a pesquisa científica e social das consequências do uso de drogas não entra no debate. Só o “somos BONS, eles são RUINS, não importa o que eles provem o contrário.”

    É muito fácil demonizar as privatizações e ao mesmo tempo dizer que tem um blog para escrever besteiras ideológicas. Que lindo né? Antes das privatizações das estatais da telefonia a maioria da população não tinha nem telefone em casa. Imagina se ainda fosse assim em tempos de internet. Até acredito que teríamos algum tipo de conexão estatal, mas seria tão ruim, que o termo banda larga não existiria no nosso vocabulário. E afirmo isso não porque tenho poderes paranormais que enxergam outra realidade, mas observando as duas experiências, dá para adivinhar como seria.

    E pergunto, passado alguns meses da gravação desse podcast, cadê o golpe da direita? Cadê a tal da direita?
    O que vimos depois de tudo? O PT cada vez mais bolivariano. As metas do Foro de São Paulo se concretizando. Médicos cubanos, tentativa de mudar a constituição, aparelhamento do judiciário, engessamento do Legislativo e muitas outras ações para consolidar a hegemonia de esquerda no país. Até deputado-presidiário nos foi presenteado.

    Aí, o professor vem me falar em democracia e ao mesmo tempo dizer que o problema do país é a imprensa??? Olha o controle social da mídia aí, a grande bandeira que o petismo quer implantar no Brasil. A censura de estado descarada que já está em cartaz em Cuba, Venezuela, Bolívia e por aí vai.
    É claro que a imprensa manipula, como todo mundo manipula de acordo com seus interesses. Você, professor, na sua sala de aula, ou no seu blog, também manipula. Numa conversa com um amigo, no discurso de um político, num filme, num livro, numa HQ, tudo é manipulado, a vida em sociedade é assim, ganha quem tiver o argumento mais forte.
    O que importa é quebrar um discurso, é mostrar argumentos mais fortes. Eu só vejo alguém xingar, mas nunca mostrar em que o lado contrário está errado.
    Cada cidadão que tem que escolher o que ler e assistir. Eu assinava a Folha, mas cancelei porque não estava gostando do tom pró-governo que ela está ficando. Ou seja, eu decidi que a Folha não prestava mais, EU, não o governo decidindo o que eu deveria ou não saber.

    Demoniza-se o adversário sem mostrar dados, sem argumentar. Aí fica fácil, quero ver provar.
    Falar que se o Aécio entrar vai acontecer isso ou aquilo é puro terrorismo eleitoreiro, não tem embasamento, só a desqualificação de um inimigo.
    Cadê os dados matemáticos que o salário mínimo cresceu muito mais nos tempos do Lula do que no de FHC? Você não vai mostrar, é claro, porque se computarmos a média a diferença é muito pequena, quase igual.
    Por que falar mal das privatizações e não fazer as contas comparando o antes e o depois? É perceptível no dia a dia o tanto que os serviços mudaram depois de privatizados. E seria muito melhor se o governo não fosse tão interventor quanto é.
    Infelizmente não temos no país nenhum partido forte que tenha outro discurso além desse de esquerda, pois era o que o Brasil estava precisando. A população quer outros discursos, mas não hoje ela não tem opção.
    O PT é uma palhaçada. O PSDB um desastre. E os outros partidos um bando de vendidos. Nenhum deles tem um projeto de governo, só projeto de poder, só pensam na próxima eleição e não no país a longo prazo.
    Esse podcast está tão ruim que não tem debate, é só um cara vomitando sua ideologia e as outras pessoas concordando. Cadê a divergência para que um debate se consolide?

    Curtir

  15. Caro Sr. Douglas, acho que o mais correto, quando você quer falar que um argumento está errado, deve-se dizer qual é esse argumento e por que você não concorda. Do jeito que falou do plebiscito e da Constituinte propostas pela Dilma, parece que a oposição só foi contra por birra, pra tumultuar, para apenas atrapalhar os planos desse lindo, maravilhoso e coitadinho governo petista.

    Aliás, você leciona História, devia se ater mais aos fatos, colocar todos os lados no debate, em vez de jogar pra galera apenas a sua ideologia. Professor de História com ideologia política é o grande mal que infecta a educação. Você tem obrigação de informar aos seus alunos todas as nuances e implicações de cada personagem ou assunto. Se não fizer isso, fica reduzido a um militante na sala de aula e não a um professor responsável. (E depois vem reclamar da mídia…)

    Já que você não deve saber como as coisas acontecem fora do mundinho de fantasia que a esquerda vende como verdade por aí, entenda por que a proposta da Dilma foi barrada, e veja que não tem birra nenhuma, só que, como sempre, o PT acha que está acima da lei e que pode tudo:

    – PRIMEIRO: a Dilma propor um plebiscito para uma Constituinte exclusiva ou reforma política é INCONSTITUCIONAL. Apenas o Legislativo pode fazê-lo. Se um deputado ou senador quiser propor isso no plenário pode fazê-lo sem problemas, mas vai ter que passar por todos os trâmites da casa, ser aprovado pelos legisladores e sancionado pelo Presidente da República.

    – SEGUNDO: é IRRESPONSÁVEL. Para a reforma política que querem fazer, as perguntas que precisarão ser feitas à população serão várias e exigirão um complexo entendimento dos prós e contras de cada tipo de sistema eleitoral (voto distrital, voto em lista aberta ou fechada, voto proporcional, voto nominal ou partidário). Para que isso ocorra democraticamente, deve-se fazer um extenso debate para explicar à população para que ela responda as perguntas sabendo do que se está falando. Do jeito que a Dilma queria fazer, a toque de caixa, para ontem, a sociedade ia acabar votando em qualquer coisa, ou naquilo que o seu candidato preferido fala-se que era o melhor.

    – TERCEIRO: faltou TEMPO. De acordo com a LEI ELEITORAL, qualquer mudança de regra no sistema eleitoral deve ser feito com 1 ano de antecedência da próxima eleição, ou seja, para que esse plebiscito desse certo os caros deputados teriam que elaborar o questionário, votar nas duas casas e aprová-lo, marcar horário gratuito na TV para apresentar cada uma das propostas, organizar a eleição, apurar, transformar o resultado da votação em lei e apresentar ao Tribunal Eleitoral as mudanças feitas até outubro de 2013. Lembra-se que estávamos no final do mês de Julho. Conhecendo nossos legisladores e toda a complexidade do tema, acha mesmo que ia dar tempo?

    – QUARTO: influência BOLIVARIANA. Conhecemos bem o PT, estava claro que ia aproveitar essa oportunidade de mudança de regras para contrabandear outras alterações na Constituição. Aliás, se você procurar no próprio site do PT, vai ver que eles já tem pronta uma Reforma Constituinte nos moldes bolivarianos prontinha há anos para por em prática. Faltava uma oportunidade, que surgiu com as manifestações. Essa gente é muito esperta e você é um pobre papagaio que fica repetindo exatamente o que eles querem que seja propagado. Reclama da manipulação da mídia, mas não enxerga as cordinhas grudadas em suas costas te controlando como uma marionete.

    – QUINTO: minar o DEBATE. Com pouco tempo para discutir as propostas, o governo, com maioria na casa, ia fazer de tudo para deixar de fora do questionário sistemas como o voto distrital que tiram forças dos partidos, mas que é o sistema mais democrático e barato que as outros sistemas, e construir as perguntas de forma a levar o povo a responder do jeito que eles querem.

    Você também disse que o melhor sistema de financiar campanhas era o financiamento público, e disse de uma forma que qualquer outra proposta é coisa de reacionário, de gente conservadora, de direita. Percebe que sempre que quer desmoralizar a proposta adversária esses adjetivos aparecem? Tudo o que é contra o que você pensa é reacionário, certo?

    Pois bem, agora vamos ao debate divergente:
    por que é bom para o PT o financiamento público de campanha?
    Você disse que dessa forma acaba com o compromisso dos partidos com as grandes empresas doadoras. Ou você é ingênuo demais ou está sendo doutrinado a espalhar essa história.
    O PT é o maior recebedor de doações das grandes empresas com grandes interesses em negócios com o governo. Você acha mesmo que com o financiamento público essas empresas iam deixar de doar para o partido? Já ouviu falar em Caixa 2?
    E outra coisa importante, como será feito a divisão da grana destinada às campanhas? Dividir por igual pela quantidade de partidos ia gerar gritaria, “o meu partido é maior que o seu”.
    Então, provavelmente iam dividir por tamanho de bancada. Quem tem as maiores bancadas juntas no Legislativo? Adivinha? PT e PMDB.
    Ou seja, em vez de cada um correr atrás do seu, como é feito hoje, seguindo as regras do jogo, arrebanhando doações, e quem ganhar mais fez por mérito, o PT e o PMDB iam pegar mais de 50% da bolada, tendo muito mais recursos para organizar suas campanhas, deixando os outros partidos mais pobres. Os adversários não poderiam pegar doações de pessoas jurídicas e também teriam a menor parte do dinheiro público. Conclusão, o PT que já o dono da bola, dono do maior tempo de TV, ia nadar de braçada na campanha, sem chance nenhuma para os adversários. Além de claro, e eles já são peritos nisso, ganhar mais alguns trocadinhos via Caixa 2. Acha realmente isso o mais justo?

    Em vez de se melhorar as ferramente de controle, aumentar a fiscalização, levar a sério as leis, o que o PT quer é acabar com qualquer chance de haver adversários e se perpetuar no poder.

    Um mesmo partido eternamente no poder não é democraria, mesmo que aparentemente esteja seguindo as regras. A troca de governantes e partido tem que ser natural pelo bem do país.

    Fica de cada um que se informar disso pensar a respeito.

    Curtir

  16. Pingback: Podtrash 148 – O Lado B de Satanás!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s