Nó na Garganta:Neil Jordan em um dos seus trabalhos mais perturbadores e desconcertantes!



“A coisa ruim de fugir de casa é não poder levar sua mãe com você”, diz Francie Brady, já adulto, lembrando de quando era menino “uns 20, 30 ou 40 anos atrás”. Francie é o personagem central de Nó na Garganta (The Butcher Boy, Irlanda/Inglaterra/EUA, 1997), de Neil Jordan, um filme muito especial que nos apresenta um retrato completo e desconcertante de uma criança cuja personalidade está em constante (de) formação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Imaginem uma mistura de Os Incompreendidos, de Truffaut, com Laranja Mecânica, de Kubrick, referências para este filme que deverá atingir em cheio aqueles que têm um gosto pelo incomum.


Comparações com esses dois marcos são freqüentes entre críticos, pois o filme de Jordan equilibra-se numa linha fina que separa a poesia/inocência da violência/delinqüência. Esta idéia é muito bem expressa pelas duas imagens que ajudaram a vender o filme, nos EUA e Inglaterra. A primeira, mostra uma figurinha correndo com uma bomba de pavio no lugar da cabeça. A segunda, um menino com uma cabeça de porco, uma faca na mão e o dedo duro, irado, apontando para frente.
Pelo que está na tela, é evidente que Jordan trabalhou com paixão sobre o livro The Butcher Boy (algo como O Menino Açougueiro), de Patrick McCabe, que co-roteirizou o filme com o próprio Jordan. Os 112 minutos de projeção são integralmente dedicados a Francie (Eamonn Owens), 12 anos, que narra sua própria história num off adulto (Stephen Rea), com humor e sarcasmo cortantes. Aproveitem, porque é uma chance rara de ver um personagem 3D, de carne e osso.

Ambientado na Irlanda dos anos 60, Nó Na Garganta define as interferências que chegam a Francie, sejam elas próximas, ou distantes, com poesia e surrealismo. No mundo externo, a crise dos mísseis cubanos anuncia o apocalipse nuclear, idéia transmitida pela TV preto e branco dos Brady, onde a imagem de um cogumelo atômico já parece corriqueira. Não que ninguém perceba, pois o pai de Francie (novamente Rea) é um músico alcoólatra (“o maior beberrão da cidade”) e sua mãe (Aisling O´Sullivan), quando não cozinha compulsivamente, está pensando em se matar, com a ajuda de corda e cadeira.

É mais ou menos nessa época que ele começa a ver e conversar com Nossa Senhora, aparição bela e atrevida de Sinead O´Connor, pop star que há alguns anos rasgou a foto do Papa na TV! Os diálogos de Francie com a Virgem Santíssima são chulos e muito típicos dos irlandeses (“A Sra. ainda fala com gente da minha laia?”). Deixam transparecer as preocupações de Francie com o mundo (especialmente em relação à amizade com Joe) e com ele próprio, que retoma as hostilidades contra a Sra. Nugent rumo à total demência e crueldade.

O filme, no entanto, nos apresenta Francie com enorme inteligência e naturalidade, nos alimentando peças de um quebra-cabeças que nos fará entendê-lo. Essas peças vão desde a abertura, inspirada em gibis ao som de Mack The Knife, à perturbadora busca de Francie por identidade e um mundo mais feliz, mesmo que esta identidade e paz de espírito existam apenas numa fotografia antiga (como os replicantes, em Blade Runner), tirada num hotel, ou no desejo de ignorar a existência de um cadáver, na sala de estar. Ironicamente, Frank Sinatra canta Where Are You (Onde Está Você), na trilha.

Tudo isso, claro, sob o comando de Neil Jordan, que ganhou o Urso de Prata no Festival de Berlim 98, com esse filme.

Um fator impressionante nesse filme é a atuação do garoto Eamonn Owens. Seguro de si, dono do nariz e ácido como o povo daquelas ilhas geralmente são, ele parece uma versão mirim de Alex (Malcolm McDowell), de Laranja Mecânica, embora também seja capaz de mostrar a intensidade de Jean Pierre Leaud, em Os Incompreendidos. É uma atuação rara, que vai de A a Z, sem falar que Francie é uma criança aterrorizante, mesmo não estando num filme de horror.
Filmografia de Neil Jordan:
Ondine (2009)
Valente (2007)
Café da Manhã em Plutão (2005)
Lance de Sorte (2002)
Eu não (2000)- Curta – Sem trailer disponível
Fim de Caso (1999)
Premonição, A (1999)
Nó na Garganta (1997)
Michael Collins – O Preço da Liberdade (1996)
Entrevista com o Vampiro (1994)
Traídos Pelo Desejo (1992)
À Procura do Destino (1991)
Não Somos Anjos (1989)
Malucos e Libertinos (1988)
Mona Lisa (1986)
Companhia dos Lobos, A (1984)
Angel – O Anjo da Vingança (1982)- Sem trailer disponível

Anúncios