Masmorra Cast #35 Os Melhores filmes de 2011

O ano chegando ao fim e está na hora de pensar: ” O que assistimos que mais mexeu conosco? ”  Tarefa difícil. Ainda mais com tantos filmes legais que acabamos assistindo no decorrer desse período. Mas ousamos escolher 3 filmes (que sufoco!) e explicar os motivos de estarem aqui e por que merecem ser assistidos por todos que amam o cinema.

Este podcast contou com a presença de Angélica Hellish, Marcos Noriega, Daniel Volponi e Maurício Saldanha do Cinema com Rapadura e Rapadura Cast.

E sabe quem mais esteve presente aqui?  Eduardo Cosso. Nosso ouvinte mais antigo, nosso colaborador,  e principalmente: nosso amigo. O dono do mais simpático “Esse filme é muito bom!” da internet. Edu apareceu quando pensávamos em desistir. Ele foi o elo da corrente que nos manteve fortes e persistentes.

Obrigada Edu Cosso!

E agradecemos a todos que estiveram conosco nesse ano que está acabando.

Vem muito filme bom por aí, minha gente! Vamos confiar!

Abraços de toda a equipe do Cinemasmorra!

Arte do Banner: Rafhael Bass

Alguns filmes citados:

O Garoto da Bicicleta

Incêndios

Cópia Fiel

Pina

Drive

Meia Noite Em Paris

Another Earth

O Guarda

Melancolia

A Pele Que Habito

A Árvore da Vida

O Caminho da Liberdade

Off Topic:

Bronson

Trilogia Pusher

PARA FAZER DOWNLOAD, CLIQUE AQUI E SELECIONE SALVAR LINK COMO
NOVO FEEDhttp://www.podcastgarden.com/podcast/podcast-rss.php?id=7567 Assine  e conheça todos os nossos podcasts

Masmorra no Twitter e no Facebook 

Anúncios

Amores Brutos

O filme Amores brutos (2000), dirigido pelo mexicano Alejandro Gonzáles Iñárritu, é um visão sofrida e decadente sobre relacionamentos. São três histórias paralelas que se cruzam em um acidente de carro.

A primeira história é sobre Octavio e Susana (Gael García Bernal e Vanessa Bauche). Susana é casada com o irmão de Octavio, e tem um filho com ele, mas Octavio nutre uma paixão por Susana. Continuar lendo

O Abominável Dr. Phibes

Horror! Medo! Desespero! Pragas Bíblicas!

Todos já ouviram falar de Vincent Price. Mas nem todos conhecem o mais carismático personagem interpretado pelo mestre: Dr. Anton Phibes.

O caríssimo Anton Phibes é  PhD em Música e Teologia; porém sua genialidade é incrível capacidade de construir seres cibernéticos – Andróides para os chatos de plantão.

Dr. Phibes foi reverenciado por músicos e foi considerado o maior organista de todos os tempos.

Continuar lendo

Batendo Papo na Masmorra #27

Olha só o nosso B.P.M. tapa-buraco oficial aparecendo quando a vida offline tá pegando!

E nesse podcast, Angélica Hellish recomenda DOIS (sim!) filmes de Guillem Morales : El Habitante Incierto e Los Ojos de Julia, Rafhael Bass fala o quanto curtiu La Haine (e nos leva a citar Assassins!) de Mathieu Kassovitz, Edu Cosso nos traz Azumi filme baseado num mangá japonês bem sangrento!

Chamamos também Ivan “Nil” PD que veio com os filmes Contos Do Dia das Bruxas, I Saw The Devil e o belo Sonhos do Kurosawa.

E você? O que andou assistindo? Comenta aí! Continuar lendo

Batismo de Sangue

O filme “Batismo de sangue” é dirigido por Helvécio Ratton, baseado no livro de mesmo nome, escrito por Frei Betto, interpretado com talento no filme pelo ator Daniel de Oliveira. A história acompanha a vida dos cinco Freis: Tito, Betto, Fernando, Ivo e Oswaldo. Toda a trajetória desses homens no decorrer da Ditadura Brasileira.

O filme começa ao mostrar o personagem principal, Frei Tito, ao se enforcar numa árvore, em um monastério na França, durante o tempo que ele ficou exilado do Brasil. Começamos a ver toda sua história com os outros padres e como se decorreu o envolvimento deles na luta contra a ditadura armada no país. Continuar lendo

A Malvada

Produção norte-americana de 1950. Direção e roteiro de Joseph L. Mankiewicz. Com Bette Davis, Anne Baxter, George Sanders, Celeste Holm, Gary Merrill, Hugh Marlowe.

Narrado em flashback a partir da noite de entrega do prêmio Sarah Siddons, o filme acompanha a estória de Eve Harrington. Eve é uma moça (Anne Baxter), fã de uma atriz famosa – Margo Channing (Bette Davis) – que, em dado momento, conhece o objeto de sua admiração e acaba tornando-se sua  “protegida”. Aproveitando-se dessa premissa, o diretor/roteirista desenvolve uma análise bastante minuciosa e ácida sobre o ambiente em que vive a atriz.

Continuar lendo