Calabouço da Liv #07 – A Licantropia e o Feminino

snow-wolf-1-1.jpg

Mitos e lendas são extremamente importantes, não só para refletirem uma época e uma cultura, mas para servirem de metáfora. Os mitos de lobisomens estão entre os mais comuns, contados pelo mundo inteiro, seja no interior de Minas ou numa cidadezinha da Polônia. Algumas pessoas realmente acreditam terem visto o bicho perambulando nas matas ao redor de sua casa, e quem sou eu para desrespeitar ou descreditar tais crenças.

O mito do lobisomem já foi utilizado de mil jeitos diferentes no cinema, na maioria das vezes de forma literal: uma pessoa desafortunada que acaba sendo mordida e sai matando todo mundo que cruzar seu caminho. É a maneira mais simples e talvez a que atraia mais público, afinal, quem não gosta de um gore supernatural? Como exemplos famosos temos Um Lobisomem Americano em Londres (An American Werewolf in London, 1981), Cães de Caça (Dog Soldiers, 2002), Grito de Horror (The Howling, 1981) e O Lobisomem (The Wolfman, 2010). Porém, o papo aqui é outro, então vou deixar esses filmes de lado.

Continuar lendo

Anúncios

Calabouço da Liv #06 – Mais do que piratas

Black Sails OST - The Parsons Farewell - YouTube.jpg

Nós estamos vivendo um momento muito bonito em relação às séries de TV (ou por streaming). Produções grandiosas, com efeitos dignos de blockbusters, atores de cinema famosos e roteiros bem criativos. É tanta série nova que fica difícil acompanhar, e por isso algumas acabam ficando escondidas e esquecidas pela maioria do público. Hoje eu escolhi falar de uma dessas criações maravilhosas, uma das minhas séries favoritas de todos os tempos, que, infelizmente, é negligenciada tanto pelo público quanto pelas premiações: Black Sails.

Continuar lendo

Calabouço da Liv #05 – Quem nunca teve Um Dia de Cão?

 

dogday1

Filmes baseados em ‘fatos reais’ são bem frequentes no cinema. Afinal, a vida é bem maluca sem precisar de ajuda, e certos acontecimentos cotidianos parecem já terem saído da mente de algum roteirista criativo. O filme que escolhi para falar hoje é uma dessas histórias bizarras que tinham de virar filmes pelo simples fator absurdo que elas têm.

Em agosto de 1972, John Wojtowicz e Sal Naturale assaltaram o Chase Manhattan Bank, e o que tinha tudo para ser só mais um ato criminoso foi na verdade um acontecimento pra lá de incomum. Tão incomum que a revista Life escreveu um artigo sobre o caso intitulado “The Boys in the Bank” (Os Garotos no Banco), e é a partir deste artigo que o filme Um Dia de Cão (Dog Day Afternoon, 1975) foi feito.

Continuar lendo

Masmorra Cast #59 The Mist ou como tem coisas do Stephen King que não são legais!

Voltamos com o Masmorra Cast! E ele tá com jeitão de Sessão Descarrego hahaha

Angélica Hellish convidou as amigas Erika Ribeiro do Seriadores Anônimos e Niia Silveira colunista do 101 Horror Movies para bater um papo sobre algumas adaptações do Mestre King que nós gostamos e, pensando na estréia da série The Mist, do que não gostamos. Um papo super leve e divertido onde os livros também são abordados!


Feed||Twitter|Instagram|Padrim
PARA FAZER DOWNLOAD, CLIQUE AQUI E SELECIONE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE – SALVAR LINK COMO
NOVO FEEDhttp://www.podcastgarden.com/podcast/podcast-rss.php?id=7567 Assine  e conheça todos os nossos podcasts

Leia o texto da Niia Silveira sobre a série The Mist  no 101 Horror Movies!

Escute os podcasts do Projeto Stephen King lá no Stephen King Brasil! O projeto voltou, então fiquem de olho.

Black Butterfly que quer ser Misery

Calabouço da Liv #04 – Gritos no Espaço

space1.jpg

“No espaço, ninguém pode ouvir você gritar.” 

Quem não conhece essa famosa (e apavorante) frase que serviu na divulgação de Alien – O Oitavo Passageiro (Alien, 1979), dirigido por Ridley Scott, e que inspirou tantos outros cineastas a trabalharem com o gênero de terror/suspense espacial? É sobre isso que falarei hoje. Afinal, há algo mais assustador do que estar confinado em um espaço limitado no meio de um ambiente estranho e saber que existe algo com você que não deveria estar ali? E quando o confinamento é demais para a cabeça dos tripulantes? E se algo na missão não ocorrer como planejado? E o que será que é aquele sinal pedindo ajuda? Estes são apenas alguns dos temas que estão nos filmes que comentarei hoje.

Continuar lendo